12 de jul de 2009

Totalmente Asamgeethamado

Lá estava ele e cá estava eu, longinquamente notável camisa social no meio de quintuplatilhões de zés regatados tentando achar livros de Direito. Ele me chama, "Br...(er, digo,)Harighals... HaAaAaArighals... eEeEu SeEeI qUeE vOoOcÊeÊ mEe OoUve...", eu vejo a capa dourada gigante resplandecendo nas minhas marbles... Mas eu viro pro lado e finjo que não tô nem aí.

Passando por aquelas adoravelmente caóticas prateleiras, vi uns 500 biblíos que valeriam a pena. Não sei o que é mais trabalhoso, ler 100 páginas em títulos de livro ou 100 páginas do livro em si, mas com certeza visar a infinitude de capas é o mais bittersweet de todos os vícios que hão a Terra. Mas eu não podia comprar nenhum deles, ia acabar esquecendo os últimos encarnados consumistas em casa, e não acabar o começado é o segundo mais bittersweet de todos os vícios que hão a Terra. Então eu me concentro em arqueologar livros for the sake of arqueologar livros. Da última vez saiu o Diderot Pictorial Encylopedia of TRADES AND INDUSTRY, um puta livrão (em todos os sentidos) por 50 mangos. Claro que todo dia ele me comprimenta da estante aqui no bunker esquizozô desde então. Direito Penal; Auto Ajuda; Arte Barroca; Romance; Romance de Adolescente (pft...); Cientologia. Hm. Esse eu comprava (em outras circunstâncias) só pra testemunhar o gênio do Hubbard, o maior vigarista a pisar a blue marble, ironicamente também o que mais deixou de ganhar ao morrer antes das sci fis dele virarem religião. "I'll tell ya, if you need money, make a religion". Anotado, bicho! Se bem que podia ter deixado a cosmologia da coisa melhor feita... aviões da NASA (repito, "aviões", não "ônibus espaciais") transportando milhões de fodidos por um imperador com nome sugestivo para lusos e sudeste-americanos de Xenu pelo espaço sideral. Meu, pra quê asa no espaço?, me diga. Enfim.

Algumas dezenas de minutos depois e eu acho 2 que eu podia comprar com certeza. HQs. Do melhor tipo, os codificadamente mitológicos. Sandman, lógico. Fables And Reflections e The Dream Hunters, o primeiro uma coletânea de HQs propriamente ditos e a outra uma narrativa a la sábio oriental ilustrada com nihonga, 2 que poderiam ser tranquilamente lidos em 2 dias, e sido foram. Melhores quadrinhos já idealizados, perfeitas combinações de 'quem procura acha' e 'não, é isso mesmo'... Linda tarde de quarta-feira, aquela foi.

Agora eu vou chegar ali no caixa e pagar esses dois, cabem exatamente na minha verba, e no caminho vou zoiando os flashiers. Cheguei na sessão de arte, melhor terreno para tal atividade, e levei meus bons 20 segundos em cada capa, mais 40 pra cada viagem...

Ele tá atrás de mim né? AH! me viro e lá está o objeto de meu aterrorizar...
"O Livro Gigante De Astronomia Medieval Em Italiano E Inglês"
... Do panteão dos épicos da Cultura, esse é o meu patrono e guardião. Nunca tive coragem de ver quanto ele custava, sabia que era estratosfericamente caro, mas eu não ligava. Um dia ele seria meu. Um dia ele vai ser meu. Dessa vez tomei audácia e fui até o balcão de peito cheio e mão na carteira: "Bicho, quanto custa esse?"

"Er... tudo isso? Tem certeza que cê não procurou a coleção inteira ou coisa assim? Tá certo... Cês não tem a versão pocket não né? Just checking... bom, já volto, devolver na prateleira. Passa esses outros enquanto isso *sorriso simpático*". You'll be mine, oh yes you will. Whatever it takes (isto é, a não ser 632,50 R$)...

Nenhum comentário: