4 de jan de 2010

A Child's Prayer for a Brave New Year

Querido papai do céu,

Faz um tempo que a gente não se fala, né? Tipo, desde aquela prova de matemática da... oitava série? Hahaha, bons tempos aqueles, só eu você e regra de três!! heh... hehehe... hum, *caham*, enfim. Se vai mais um ano, outro chega, novas esperanças, novos sonhos, oh such great a many pathways to be unfolded underneath the biiig bluuuue sky... Mas sabe como é, ninguém te liga nessa linha quando a coisa tá utterly satisfying. Aliás, eu te admiro por toda essa fibra vocacional, todo esse tempo atendendo as mazelas da humanidade de boa, ou quase, mas deixemos aquela coisa do dilúvio pra lá. A questão é, as coisas aqui embaixo não andam tão bem, como o senhor já deve saber. O pobre servo violeiro que vos dirige não tem por intuito sair da sombra de sua, ó, tão humilde posição no cosmos, mas quem não chora não mama, então vamolá.

Antes de qualquer coisa: o Led Zeppelin tem que fazer mais um tour mundial, Robert Plant incluso! O filho do John Bonham nem é lá tãããão imprescindível assim, aceito se por algum acaso quiser tirar ele da jogada, mas os 3 originais tem que estar lá. Depois desse tour, eles vão perceber como era boa a vida nos anos 70 e lançar um novo álbum. Um BOM álbum, ouviu? Nada daquelas putarias de mixagem do comeback do Rush. E nada de double lead vocals, Led Zeppelin é uma coisa, Alison Krauss é outra, certo? Humph.

Todos nós sabemos que o B.B. King é velho gordo e não é uma morsa, mas isso não é motivo pra... chamá-lo... ainda esse ano. Deixa ele acabar o tour de despedida dele e dá um jeito de fazer o grandão gravar um último álbum. Depois do Les Paul, seria um choque grande demais para o mundo guitarrístico. Se for pra fechar a cota, mata a Maddona. Vai combinar com o Michael Jackson - aliás, boa sacada essa hein? Aposto que tem um padre-médium faturando milhões com vendas de coletânea - ou então faz o avião do revival do Village People cair. Ah, criatividade não lhe falta.

Se for pra fazer outro reunion do Genesis, o Peter Gabriel E o Steve Hackett tem que estar nele. Se não, don't even bother. Chega de Phill Collins cantando popzinhos. Não tô nem te pedindo um álbum nem nada hein, só que no advento de um tour, que seja um tour do Nursery Chryme line-up, quem sabe eles podiam tocar The Lamb Lies Down on Broadway na íntegra e com as fantasias e tudo, e filmar isso pra a posteridade pra que alguns mortais não se sintam putamente frustrados em se contentar apenas com descrições da Wikipedia.

Por favor, cura o coágulo na perna do Chris Squire, vai? O Yes tava indo tão bem naquele tour, tão felizes... Não tem como substituir o baixista. O batera até vai, o vocalista aliás você arranjou um muito bom, mas o Squire o Steve Howe pelo menos tem que ficar. Oliver Wakeman não é lá tãããão bom quanto o pai, mas tá de bom tamanho. E dá um pulmão novo pro Jon Anderson poder voltar a fazer as letras antes deles tentarem um álbum novo, não que Magnification não tenha saído bom, mas pensemos no futuro.

Acha um baterista novo pro The Who e faz eles gravarem outro álbum, pau no cú dos críticos, Endless Wire ficou muito bom sim. O coitado do filho do Ringo Starr não aguenta segurar eles, ficou tocando brit pop dos anos 90 por muito tempo. Também, foi levar o Keith Moon pra que né...

Por último - Tem gente que te pede pra ganhar na mega-sena, gente que quer dominar o mundo, há quem peça comunhão e harmonia entre os povos e paz mundial. Eu só quero um baterista. Só isso. Depois disso, tô bem por essa encarnação.

É isso. Valeu aí. Feliz ano novo. Ah é, essas coisas acabam com Amém né? Tá bom.

Amém.

Nenhum comentário: